Jan212016

REAJUSTE SALARIAL

Published by souzaneto at 3:43 AM under

Aconteceu na manhã do dia 20 de janeiro no Complexo Portuário do Açu em São João da Barra, assembléia da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil- STONCIMO-RJ e os sindicatos SINICON e SINDEMON, para o reajuste salarial dos trabalhadores à partir de 1 de fevereiro de 2016.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Dec262015

EM 2015 A PIOR CRISE DOS ÚLTIMOS 18 ANOS

Published by souzaneto at 4:00 AM under

O ano de 2015 está terminando marcando a maior crise econômica e financeira dos últimos 18 anos no ramo da construção civil e de todos os sindicatos. Essa avaliação é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, José Carlos da Silva Eulálio. O caos começou em maio passado com a paralisação das obras públicas. Cerca de 6 mil e 300 trabalhadores foram demitidos, fora os que não passaram pelo crivo do sindicato, só restando um total de 2 mil e 400 empregados.

Nesse apagar das luzes as dificuldades aumentaram. Se não tem trabalhador no mercado o sindicato não recebe arrecadação. E se não tem arrecadação como saldar encargos sociais, despesas e ainda convênios e para completar as empresas deram férias coletivas de uma semana nesse período de natal aos trabalhadores e não repassou ao sindicato às contribuições recolhidas dos trabalhadores, o que gerou um grande desconforto quanto pagamento mensal e 13 para os funcionários do sindicato. “Eu nunca atrasei o pagamento desses cooperadores e muito menos fiquei devendo o abono devido: sempre paguei em dia. Este ano foi diferente” disse Eulálio na última reunião com todos os seus diretores e funcionários do sindicato laboral.

Nesse final precisamos esquecer o ano de 2015 e nos preparar para um 2016 que será bem pior do que possamos imaginar. As demissões vão continuar acontecendo. O Seguro Desemprego não vai cobrir a todos. Tem empresa que não vai conseguir depositar o F.G.T.S durante o período, porque não recebeu as verbas contratuais e o pior é que o sindicato patronal nunca se pronuncia publicamente e nem denuncia o crime praticado contra a categoria associada.

Eulálio lamenta que durante os 18 anos que esteve à frente do STICONCIMO-RJ nunca viveu uma crise tão complicada. O que o governo federal está impondo não vai permitir uma recuperação em menos de 2 anos, ainda mais com desperdício do investimento para as alimpíadas. “Todo o país que patrocinou este evento faliu de acordo com as pesquisas”. Só na construção civil temos 8 mil trabalhadores desempregados e onde realocá-los. O Complexo Portuário do Açu esta tímido em relação à crise e as contratações tão esperadas não vão acontecer. É triste e lamentável este final de 2015.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Dec132015

CONSTRUÇÃO CIVIL VIVE A PIOR CRISE DOS ÚLTIMOS ANOS

Published by souzaneto at 8:07 AM under

Campos dos Goitacazes está vivendo a pior crise dos últimos anos na Construção Civil. Em sete meses cerca de 6 mil e 300 trabalhadores foram demitidos sem falar nos trabalhadores que tem menos de um ano de carteira assinada. Esse aspecto é o pior possível e a perspectiva será pior para o próximo ano. O município está com 126 obras públicas paralisadas por falta de pagamento o que gerou um grande caos para o ramo da construção e o comércio. Até o momento é difícil contabilizar as dívidas dessas empreiteiras já que o sindicato patronal não se pronuncia publicamente.

O mercado imobiliário ainda sobrevive porque os imóveis prontos ou em construção ainda se arrastam. Eles têm prazo para serem entregues porque já foram negociados junto as instituições financeiras e para colocar dinheiro em caixa algumas empresas está dando desconto de até 30% para estancar a crise do mercado.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, José Carlos da Silva Eulálio em entrevista no Balanço Geral da Rádio Record lamentou a crise. O sindicato sofreu uma baixa muito grande com essas demissões e hoje o STICONCIMO-RJ tem apenas 2 mil e 500 cooperadores cadastrados. “Mesmo assim estamos mantendo os nossos convênios para os associados como o mini Plano de Saúde. Assistência Odontológica, Laboratoriais, e Farmácia com descontos” disse o presidente.

Segundo Eulálio o ano de 2016 será de grande arrocho e imprevisível. “Não se pode falar em crise e cruzar os braços. Crise se vence com lutas; trabalho. Eu não sei como será o Natal desses trabalhadores, mas uma coisa garanto: O STINCONCIMO-RJ vai continuar vivo, vigilante, atuante na fiscalização e preservação dos direitos dos trabalhadores” .

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Nov212015

AÇÃO GANHA DO STICONCIMO-RJ

Published by souzaneto at 9:10 PM under

Como veio a público no dia 16/10/2015, a empresa ENGESIQUE vem enfrentando problemas financeiros, o que motivou uma paralisação de seus funcionários por causa do atraso do salário de setembro, nesta ocasião, a empresa dona da obra, (PORTO DO AÇU OPERAÇÕES S/A), antecipou uma quantia para que a empresa efetuasse o pagamento dos salários em atraso.

Todavia, no último dia 30, os trabalhadores voltaram a paralisar as atividades do complexo portuário, uma vez que não haviam recebido o adiantamento salarial que deveria ter sido pago no dia 20/10/2015.

Diante da situação, o MPT ingressou com uma ação cautelar solicitando o bloqueio de bens da referida empresa, e a designação de audiência de conciliação entre as partes.

Na audiência de conciliação realizada no dia 19/11/2015, ficou acordado nos autos de Ação Cautelar em trâmite na 2 Vara do Trabalho de Campos dos Goitacazes, perante a procuradora do Ministério Público do Trabalho e o STICONCIMO que a empresa ENGESIQUE retornará gradativamente as atividades no dia 23/11/2015; que a empresa ENGESIQUE efetuará o pagamento do adiantamento salarial de novembro até o dia 25/11/2015, e da primeira parcela do 13 salário até o dia 02/12/2015 sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 em caso de descumprimento.

Ficou acordado ainda, que a empresa PORTO DO AÇU OPERAÇÕES S/A realizará o pagamento de um novo aporte financeiro para a empresa ENGESIQUE, para que esta cumpra com as obrigações assumidas.

Diante desta, o STICONCIMO informa a todos os trabalhadores da empresa ENGESIQUE, que deverão entrar em contato com a empresa para retornarem as atividades na obra do PORTO DO AÇU. Em caso de dúvidas, entrem em contato com o fiscal Rogério no STINCONCIMO de São João da Barra ou através do telefone 27411252.






 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Nov102015

ENGESIQUE PAGA TRABALHADORES E EVITA PARALIZAÇÃO

Published by souzaneto at 6:14 AM under

A ENGESIQUE ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E MONTAGENS LTDA paga os trabalhadores e retoma as obras no Complexo Portuário do Açu em São João da Barra. A promessa de pagamento aconteceu em uma reunião às 18hs de segunda feira no Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Construção Civil e do Mobiliário do Norte e Noroeste Fluminense em Campos dos Goitacazes.

A empresa vai depositar na conta dos trabalhadores RS 1.036,000, 00(um milhão, trinta e seis reais) referente o mês de outubro, garantindo obrigações trabalhistas passadas e futuras. Será garantida também a confecção de crachás atualizados para entrada dos trabalhadores nos canteiros de obras além da liberação de ferramentas individuais dos mesmos que estavam retidos em armários.

Participaram da reunião uma comissão de três trabalhadores, além dos representantes da PRUMO LOGÍSTICA, Luccas Calabrez, a advogada Ana Luiza Vieira de Vasconcelos, o representante da ENGESIQUE, Felipe Cordeiro, o presidente do STICINCIMO, José Carlos da Silva Eulálio, diretor José Carlos  a Engenheira de Segurança do Trabalho Cristiane Carvalho de Oliveira e toda a equipe técnica.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Nov102015

EMPRESA FAZ ADEQUAÇÃO DE SALÁRIOS

Published by souzaneto at 5:28 AM under

Trabalhadores da empresa J.A. Pessanha Instalações Elétricas, reclamaram junto ao Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e do Mobiliário rebaixamento de salários. Às 15 horas do dia 9 de novembro aconteceu uma reunião com os representantes da empresa; Amarildo Freitas Pessanha, Felipe Faria de Lima e a advogada, Dayse do Nascimento Macedo, na sede do sindicato laboral.

A empresa alegou que tem atividade preponderante leve e atuava em um canteiro de obra pesada através de contrato. Como não pratica essas atividades, seus representantes alegam crise econômica para mantimentos de salários. Na reunião uma comissão de trabalhadores concordou na manutenção de seus direitos até janeiro de 2016, quando se iniciará o retorno da convenção coletiva leve 2015/2016.

Além dos representantes da empresa, participaram também, Cristiane Carvalho de Oliveira, Engenheira de Segurança do Trabalho do STICONCIMO-RJ e os advogados José Luiz da Silva e Jorge Jóia. Embora não seja devido à empresa que conta com 50 funcionários, garantiu também o pagamento do vale alimentação no valor de 80 reais até 30 de abril de 2016.

 

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Oct312015

TRABALHADORES DA ENGESIQUE SEM DEFINIÇÃO TRABALISTA

Published by souzaneto at 6:50 AM under

Os 450 Trabalhadores da Engesique Engenharia Construções e Montagens Ltda, que prestam serviços no Complexo Portuário do Açu, que estão sem atividades no canteiro de obras a pedido da própria empresa, voltaram a fazer nova manifestação na manhã de ontem(30/10), temerosos de mais uma vez ficarem sem receber seus pagamentos e por falta de informações sobre a situação trabalhista. Alguns afirmaram que receberam apenas um vale referente ao mês anterior.

A tarde na sede do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção da Construção Civil, e do Mobiliário de Campos, Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro-STICONCIMO, aconteceu uma reunião sem resultados favoráveis aos trabalhadores representado pelo presidente José Carlos da Silva Eulálio, o diretor José Carlos Pereira, o fiscal de obras Rogério Teixeira, a engenheira de segurança do trabalho, Cristiane Carvalho de Oliveira, assistido pelo advogado Deywid Peçanha Lage, juntamente com a empresa contratante PRUMO LOGISTICA, representada pelo gerente de obras, Madison Pinheiro, o gerente de planejamento Thiago Magalhães, do relações trabalhistas sindicais, Luccas Calabrez o advogado  Diogo Antunes, e a empresa ENSESIQUE ENGENHARIA CONSTRUÇÕES E MONTAGENS Ltda, representada pelos Gerente de Obra, Pablo Costa Pinto Hoentsch, coordenador de elétrica, Antônio Carlos de Almeida Bifano, e o advogado Alexandre Ribeiro de Souza.

A empresa ENGESIQUE esclareceu que não possui condições financeiras de arcar com o passivo trabalhista de seus colaboradores e necessita do aporte da PRUMO LOGISTICA. Esta por sua vez, afirma que não tem responsabilidade com o pagamento do referido passivo uma vez que não é contratante dos trabalhadores. Uma nova reunião será realizada no dia 4 de novembro de 2015 no Rio de Janeiro com a diretoria das empresas, a fim de definir uma solução para a questão.

Ficou também exclarecido que não houve a participação do STICONCIMO na formação da paralisação. No entender do presidente José Carlos da Silva Eulálio ela foi ilegal. A data dia 30 de outubro ainda não caracteriza o fechamento do mês e a empresa tem até o dia 9 para cumprimento da data de acordo com o calendário do último pagamento realizado. “Só após essa data caberia tal medida de descontentamento, por essa razão ficou prejudicado a reunião na tarde de sexta feira dia 30 de outubro” lamentou o presidente”.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Oct292015

STICONCIMO COBRA DE EMPRESAS APURAÇÃO NA MORTE DE TRABALHADOR

Published by souzaneto at 6:05 AM under

O SINDICATO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVÍL E DO MOBILIÁRIO-STICONCIMO-RJ, cobrou das empresas que administram o Complexo Portuário do Açu, explicações sobre a morte por acidente de trabalho do trabalhador da FCC TARRIO, Vanilson Gomes Monteiro, ocorrido na madrugada de 20 de setembro no canteiro de obras. Participou Lucas Calabrez, especialista de recursos humanos da Plumo; Alex Steves e Jecelma Karenina Duarte da Silva; ambos da administradora Anglo American. Nas palavras das empresas ainda não se tem uma conclusão da perícia.

Representando o STICONCIMO os advogados: Leonardo Crespo Peçanha; Daniel Nogueira; Thiago Luquetti e Deywid Lage; além do diretor José Carlos Pereira da Silva. O presidente do Sindicato José Carlos da Silva Eulálio ainda perplexo com o ocorrido exige das empresas contratante explicações e rigor nas investigações no sentido de evitar acidentes com  novas vítimas.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Oct172015

TRABALHADORES DA ENGESIQUE FAZEM PARALIZAÇÃO

Published by souzaneto at 7:33 PM under

Trabalhadores da ENGESIQUE ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E MONTAGENS LTDA, que prestam serviços no Complexo Portuário do Açu em São João da Barra, fizeram uma manifestação sexta feira (17/10) por falta de pagamento. Eles alegaram para a Imprensa que todos os meses paralisam os trabalhos no canteiro de obras, sendo que a única forma de reaver seus direitos com justiça foi de bloquear uma das vias de acesso ao Complexo Logístico de forma pacífica.

Representando os trabalhadores: Douglas Cruz, Jailton Borges Cardoso, Wanderson Santos Leite Jame, Wellington Bezerra da Silva e Denis Willian Boa Morte conseguiu celebrar no local um acordo com representantes da empresa ficando acertado no mesmo dia o pagamento de 1.270.000,00( Um milhão, duzentos e setenta mil reais. A promessa foi acompanhada pelo diretor do Sindicato dos trabalhadores STICONCIMO, José Carlos Pereira da Silva e do fiscal Rogério da Glória Teixeira.

O STICONCIMO garantiu aos trabalhadores o retorno ao trabalho a partir de quarta feira dia 21/10, já que segunda feira é feriado na Indústria e Comercio e eles estão com crachás de identificação vencidos, impedidos de entrarem no Complexo Portuário, tempo que a empresa terá para resolver a situação.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses

Oct012015

Noite de confusão com tentativa de criação de Sindicato fantasma

Published by souzaneto at 11:47 PM under

Noite de 29 de setembro foi marcada de muita confusão em uma sede de um partido na Avenida Tenente Coronel Cardoso, 753, centro de Campos. Tentaram fundar um sindicato abraçando todas as categorias já existentes, atingindo os seis maiores sindicatos do município. Através do político Marcelo Vivório, foi convocada uma assembléia de fundação da entidade composta de “terceirizados”, excluindo a presença dos sindicalistas afetados.

Tal atitude provocou uma grande confusão, se não fosse à presença de 14 seguranças presumindo-se serem policiais. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Campos foi agarrado e agredido a socos na discussão envolvendo o Sr Marcelo Vivório. Outros sindicalistas foram ameaçados. O que mais causou indignação é que um trabalhador de uma categoria não conhecida foi mencionado para presidir a mesa pelo político o que não aconteceu em meio a situação generalizada. 

Sindicalistas também contestaram a atitude inconveniente do Sr Marcelo Vivório de usar um trabalhador de categoria não conhecida para presidir a presidência de fundação de um sindicato. “Ao tentar fazer uso da palavra o mesmo não soub se comportar agredindo todos com palavras. O Sr Marcelo Vivório também garantiu dar carta sindical a quem precisasse e que o Ministério do Trabalho, garantia a fundação do tal sindicato, alegando que todas as categorias citadas no edital estavam com seus estatutos irregulares. Em seguida deu a assembléia encerrada alegando não ter condições de prosseguir por causa da confusão que provocou.

Demonstrando total descontrole o Sr Marcelo Vivório declarou a todos os presente e até mesmo para o repórter da Rádio Capital FM, que os presidentes do Sindicato dos Empregados na Indústria da Construção Civil, José Carlos da Silva Eulálio, e o do Sindicato dos Trabalhadores Asseio e Conservação estavam roubando a categoria, gerando novo conflito e para não acontecer uma tragédia, Vivório foi orientado a se retirar do recinto. Tantos os presidentes ofendidos e sindicatos estão tomando providências judiciais.

 



[KickIt] [Dzone] [Digg] [Reddit] [del.icio.us] [Facebook] [Technorati] [Google] [StumbleUpon]

Tags:

E-mail | Permalink | Trackback | Post RSSRSS comment feed 0 Responses